July 28, 2017

June 23, 2017

Please reload

Últimos Posts

O que aprendemos sobre Marketing com João Amoedo e o Partido Novo?

October 24, 2018

1/7
Please reload

Destaque

O que aprendemos sobre Marketing com João Amoedo e o Partido Novo?

October 24, 2018

 

 

Antes de qualquer coisa quero salientar que esse post não tem como objetivo analisar as propostas políticas do Partido Novo (mesmo porque, não tenho know how político para isso). Como analista de marketing me concentro em apresentar algumas estratégias de marketing que percebi durante essa campanha.

 

 O Partido Novo foca no Marketing Político e não no Marketing Eleitoral
 

 O que a maioria dos candidatos e partidos políticos fazem é o Marketing Eleitoral que tem como objetivo único e definitivo promover ações de comunicação e divulgação focadas na campanha política de um determinado candidato. O Marketing Político por sua vez é realizado em longo prazo, buscando trabalhar a marca pessoal do político e ou partido de forma educativa. As principais estratégias de marketing político são:

 

1- Desenvolver uma marca política;

2- Construir uma comunidade;

4- Investir em conteúdo;

5- Marcar presença nas redes sociais.

 

 Com essa breve explicação já é possível identificar que João Amoedo e o Partido Novo trabalham mais o marketing político do que o eleitoral.

 

 

 A Construção da Persona do Partido Novo
 

 Quem trabalha com inbound marketing sabe que a base para qualquer bom plano é o estudo e o desenho da persona do público alvo. Construir uma persona é mais do que dizer que você vende seu produto para mulheres de 18-30 anos que moram em São Paulo, por exemplo. Quando falamos de persona no inbound marketing, analisamos suas dores, seus desafios, medos, qualidades e aspirações.

 

No meu ponto de vista o Partido Novo definiu muito bem sua persona desde seu início em 2011. Sendo bem analítico, acredito que o partido tem duas personas:

 

 1º Os eleitores: cidadãos insatisfeitos com o montante de impostos pagos e a qualidade dos serviços públicos recebidos (que é muita gente, rs), que desejam uma opção à velha política, dos privilégios, das alianças que são feitas para o processo eleitoral e não para o governo. 

2º Os filiados: pessoas que nunca haviam se candidatado a nenhum cargo eletivo, mas concluíram que um partido político seria a ferramenta democrática adequada para realizar as mudanças desejadas e necessárias. Na sua maioria gestores e jovens.

 

A segunda persona está contida na primeira, mas é parte principal, no meu ponto de vista para o Partido Novo, pois são essas que financiam todas as ações e multiplicam a causa (que não deixa de ser um negócio, estão conseguindo transformar algo que as pessoas tem asco em um movimento que dá vontade de participar e contribuir mesmo financeiramente, a partir de uma dor comum).

 

 

 Estratégias de Marketing do Partido Novo
 

 Branding: lançar uma nova marca no mercado não é algo simples. O Partido Novo já está no mercado há mais de oito anos. Um design minimalista, cores específicas e tipografia leve contribuíram para diferenciar o partido. Algo que me chamou atenção também é a loja.novo.org.br, com camisas, canecas, bonés, pulseiras, material personalizado (e caro), do partido que além de financiar a campanha serve como propagação da "Onda Laranja" e gera o famoso pertencimento a marca, que todas as empresas buscam.

 

Conteúdo: a construção de conteúdo relevante para sua persona é a coluna vertebral do inbound marketing. O Partido Novo construiu isso de forma notável antes e durante a campanha. Trabalhou com vídeos diários, principal conteúdo consumido na internet e com isso conquistou uma militância online, na sua grande maioria, jovens. Muitos releases para imprensa e backlinks. A primeira vez que ouvi falar do Novo foi por meio de um amigo, de maneira orgânica.

 

 Site: embora com uma avaliação rápida no Webgrader o site do partido novo (https://novo.org.br/) apresente falhas na parte de segurança e sitemap, ele já foi construído no wordpress com Protocolo de Transferência de Hipertexto Seguro (HTTPS), o que sites dos dois maiores partidos brasileiros não são. O site deles também precisa melhorar no SEO, mas apresentam um bom design e atualizações constantes e é mobile friendly. Já no site do candidato João Amoedo (joaoamoedo.com.br) as questões de segurança e sitemap não são um problema e o SEO tem uma melhor pontuação.

 

Call to Actions e Foms: sempre que entro em um site a primeira coisa que me chama a atenção são os call to actions, ou em outras palavras os botões para ação, que normalmente sempre estão ligados a um form (formulário). Há três CTAs principais no site: DOAR, FILIAR-SE e LOJA. Só na home eu contei mais de 10 CTAs, o que indica que o site foi construído com objetivos específicos para conversão, não apenas como algo institucional. Esses mesmos CTAs estão espalhados pelo blog do partido.

 

No site do João Amoedo há CTAs para whatsapp, onde o eleitor pode cadastrar e receber conteúdo em primeira mão, falando na plataforma que o "cliente" está acostumado a utilizar, o que muitas empresas têm receio de fazer por conta do "trabalho que dá responder".

Fui impactado também por landing pages de abaixo-assinados (e eles utilizam UTMs de trackeamento), petições para inclusão do Amoedo em debates, e todas também tinham thank you pages com CTAs para doação.

A, e nem mencionei aqui o bom e forte marketing de relacionamento...

 

 

 Os resultados do Novo e a lacuna no Outbound
 

Quem tem experiência na área estratégica de marketing sabe que dependendo do negócio, produto ou serviço, não dá para aumentar seu share apenas com o marketing digital, e propriamente falando sobre o inbound marketing. Isso foi exatamente o motivo do Novo não ter um resultado mais expressivo nas urnas.

Sem tempo de TV e recursos para investir em mídia de massa em escala seu conteúdo não chegou a todas as casas que poderiam chegar. Por exemplo, meus avós não sabiam quem era João Amoedo ou o Partido Novo.  

 

A falta de investimentos agressivos em outbound marketing (definido como a estratégia tradicional de marketing, em que a marca é ativa no processo de prospecção de clientes. Exemplo: enquanto no Inbound Marketing você aguarda o peixe (de um rio e qualidade selecionados) morder a isca, no Outbound Marketing você joga uma rede no rio) foi o motivo, na minha análise para os resultados do novo não terem sido melhores.

 

O partido de João Amoedo elegeu uma bancada de 8 deputados federais, 11 deputados estaduais e 1 deputada distrital. E tiveram o governador mais votado em Minas, Romeu Zema, que está no segundo turno. Além disso, o presidenciável conseguiu ficar em 5º lugar nas urnas com mais de 2 milhões de votos, ficando a frente de nomes antigos na política, como Marina Silva. Excelente resultado para 3 anos de trabalho. Com investimento em massa de ações outbound isso seria ainda maior.

 

 

 Como será o delight do Partido Novo?
 

 Na metodologia de inbound marketing, as empresas se esforçam para atrair, converter, fechar e delight o cliente, ou encantar. O encantamento acontece após a entrega do serviço e produto e a experiência do cliente com todo o processo é o fator que determinará a sustentabilidade do negócio (grow better).

 

O Partido Novo conseguiu atrair, converter muitos brasileiros por conta de sua proposta contra a velha política, mas a pergunta que fica é se conseguirá encantar seu público com os candidatos elegidos nos próximos anos, principalmente porque a filosofia do grupo é totalmente oposta a prática de associações e jogos de interesses do sistema político brasileiro. Como escrevi acima, a marca precisa aparecer para massa e aumentar sua credibilidade, mas não pode se corromper, se tornando um velho Partido Novo. Vai ser um desafio, e eu quero acompanhar os próximos capítulos desse case.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Seguir
Please reload

Buscar por Tags
Please reload

Arquivos
  • Facebook Basic Square
  • LinkedIn Social Icon
  • Black LinkedIn Icon
  • Black Facebook Icon

Orgulhosamente criado por João Diomasio